Categoria: Eleições2020

Redacao5 de fevereiro de 2020
Luizao-PROS-e.jpg

2min00

Uma situação foi definida com relação a disputa eleitoral nas próximas eleições em Rondonópolis. O Partido Republicano da Ordem Social (Pros) definiu que o pré-candidato a prefeito será o empresário Luiz Fernando Homem de Carvalho, o Luizão.

Outra definição é de que o Pros não aceitará compor em uma chapa majoritária que não seja encabeçada por Luizão, e dessa forma o nome dos prováveis envolvidos na disputa a prefeitura de Rondonópolis começam a ser definidos.

Segundo uma fonte, o partido vem construindo uma pré-candidatura majoritária e terá também uma chapa de pré-candidatos a vereadores com muita força para pleitear vagas na câmara municipal.

“O Pros não vai compor chapa para colocar Luizão com vice de ninguém”

Luizão é empresário de sucesso e tem relevantes serviços prestados a sociedade através de clubes de serviço e como presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR).

A legenda aposta alto e acredita que por não estar comprometida com grupos tradicionais da política local, pode avançar e trabalhar em um projeto de mudança verdadeira para Rondonópolis, que segundo os militantes da legenda há anos apresenta sempre o mesmo quadro da velha política.

 

Fonte: Marreta Urgente


Redacao5 de fevereiro de 2020
gestão-de-redes-sociais-ferramentas-640x427-1.jpg

2min00

A grande maioria dos partidos do Estado de Mato Grosso ainda não se preparam para o uso das redes sociais nas eleições municipais de outubro. Nada supera o contato direto com os moradores das cidades, a conversa com cada um, gastar a sola de sapato. É assim que os partidos fazem suas campanhas. Mas as redes sociais se tornaram um instrumento muito importante para divulgar as propostas a uma parcela significativa da população.

As redes sociais – em especial, o facebook, whatsapp, instragram e twitter – balizaram as campanhas nas eleições de 2020 e serão amplamente usadas nas eleições de outubro. Há uma série de técnicas desde os horários de postagens e a produção de conteúdos específicos para cada plataforma.

Alguns partidos estão pensando em realizar treinamento nas principais cidades do Estado (a maioria pré-candidatos a vereador e a prefeito), lideranças políticas, militantes.

Objetivo preparar a militância e os pré-candidatos para enfrentarem os desafios nas redes sociais nas eleições municipais.

O presidente dos maiores partidos como MDB, DEM, PL, PSD, PSDB, PSL disse que vão continuar preparando e qualificando os quadros políticos do partido para as eleições municipais. O MDB já foi governo no Mato Grosso e em grande parte das cidades do Estado. Sempre buscamos a qualidade na representação do partido nos governos, legislativos e câmaras municipais. É essa é uma das propostas do MDB nas eleições municipais de outubro: candidatos a prefeito e vereador com boa formação e representatividade.

 

Fonte: Caldeirão Político


Redacao4 de fevereiro de 2020
3d68c0e414ba974197ae3ebb724c0f7a.jpg

4min00

O deputado estadual, Ludio Cabral (PT), revelou nesta segunda-feira (3) que articula junto com outras legendas de centro-esquerda, definir um grande arco de aliança para “brigar” contra a frente do agronegócio e “bolsonarista”, na disputa a eleição suplementar ao Senado, que será realizada no dia 26 de abril.

Neste domingo (2), lideranças partidárias se  reuniram para definir as legendas que fariam parte do grupo político durante a “3ª reunião do campo Democrático e Popular”.  Além do PT, integram o bloco o PCdoB, PSB, Rede, PL, SD, PROS e PV.

“Há um bloco que é o um bloco dos gigantes das economia do Estado, os gigantes do agronegócio que vão apresentar uma, ou mais de uma candidatura. Tem o Fávaro, tem Pivetta, Nilson Leião e vão para o Senado para continuar representando esses interesses. Há um outro bloco político que é o bloco do Bolsonarismo que tem o Medeiros, o Barbudo e há um bloco que eu entendo ser necessário ser construído que eu chamaria de partido do Campo Democratico Popular”, explicou Ludio durante entrevista a Rádio Metrópoles.

Entre as principais lideranças deste bloco, estão os deputados Max Russsi (PSB) e Valdir Barranco (PT). Segundo Lúdio, a aliança ainda possui outros nomes “competitivos” para lançar ao pleito. “No PCdoB tem a professora Maria Lucia, o PSB  tem o deputado Max Russi, o Solidariedade tem o deputado Dr. Leonardo, a Rede sustentabilidade tem Sebastião Carlos que foi candidato ao Senado na eleição passada e o PROS tem a Gisela Simona”, listou.

Além dos citados, o grupo deve contar ainda com apostas do Partido Verde (PV) com o secretário de Serviços Urbanos de Cuiabá, José Roberto Stopa, o vereador Mario Nadaf, o deputado Faissal Calil. No Partido Liberal, o nome cotado é do presidente da AMM (Associação Mato-grossense dos Municípios), Neurilan Fraga).

Lúdio, que constantemente tem seu nome colocado para a disputa, disse que este não é seu projeto. Segundo ele, o PT tem seis nomes para o concorrer ao pleito.

“O PT tem quadros qualificadíssimos para fazer essa disputa e uma resolução da executiva já apontou alguns nomes como a deputada federal Rosa Neide, o deputado estadual Valdir Barranco, o ex-deputado federal Carlos Abicalil, Professora Enelinda Escala, Professora Edna Sampaio, o Henrique Lopes que é o primeiro suplemente de deputado estadual”, complementou.

Contudo, Ludio alega que é necessário amadurecer a ideia e por isso as siglas devem continuar se reunindo até a definição final do postulante que irá concorrer a cadeira deixada por Selma. “Essa agenda de diálogo entre os partidos vai continuar acontecendo para até o momento da tomada de decisão, que eu acredito que seja na primeira quinzena de março”, finaliza.

A eleição suplementar ao Senado ocorre após a decisão do do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) que por 7 votos a 0 cassou o mandato da senadora Selma Arruda (Podemos) por prática de caixa dois, abuso de poder econômico e propaganda extemporânea durante a pré-campanha. Na última semana o TRE definiu que a votação será realizada no dia 26 de abril