Categoria: Dia-a-dia

Redacao8 de dezembro de 2019
ANTONIO-WAGNER.jpg

4min00

A reforma da previdência de Mato Grosso, que deve ser enviada pelo governador à Assembleia Legislativa, foi classificada como ‘estelionato eleitoral’ pelo representante do Fórum Sindical, Antônio Vagner.

“Quando eu vou à mídia, quando eu uso de todos os canais de comunicação e digo que eu vou valorizar o servidor… tirar dinheiro do bolso do servidor não é valorizar. Isso pra mim soa como um estelionato eleitoral”, disse. Segundo ele, o termo também foi usado pela Associação Nacional De Auditores Da Receita Federal (ANFIP) em relação à reforma do governo Bolsonaro.

A proposta do governo ainda não foi enviada à Assembleia Legislativa, mas deve prever idade mínima de 65 anos e um teto semelhante ao do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), de R$ 5 mil para todos os servidores. Segundo o Governo do Estado, o prejuízo mensal com o atual formato é da ordem de R$ 115 milhões. Um levantamento feito pelo MT Prev no início do ano apontou que o déficit previdenciário do Estado pelos próximos 35 anos é de R$ 57 bilhões. O valor corresponde a parte da projeção atuarial da previdência de todos os Poderes.

O levantamento ainda aponta que quase 22% dos servidores estaduais em Mato Grosso tiveram a aposentadoria concedida com 50 anos ou menos. A maior faixa é a dos que têm entre 50 e 55 anos, sendo que a idade média é de 56. De acordo secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, se aprovadas, as mudanças não serão suficientes para zerar o déficit previdenciário.

Conforme o levantamento, tiveram concedidas as aposentadorias abaixo de 45 anos 2.073 servidores do Estado, o que representa 7,21%. Já os que começaram a receber o benefício entre 45 e 50 anos são 4.229 (14,72%). Juntos, eles somam 21,93%.

A maior fatia dos aposentados começou a receber o benefício entre os 50 e 55 anos, sendo que são 9.580 (33,36%). Ao todo, são 28.716 servidores aposentados pelo Estado.

O estudo também mostra que 43,94% dos servidores aposentados pelo Estado recebem entre R$ 5.000,01 e R$ 8 mil, o que representa uma média de R$ 6.997,94. Na segunda colocação aparecem os que ganham entre R$ 8.000,01 e R$ 12 mil (14,60%), com uma média de R$ 9.707,96.

Se as regras continuarem as mesmas, a expectativa é que em 2023 Mato Grosso terá mais servidores inativos do que ativos. O déficit financeiro acumulado, até 2029, seria de R$ 31.179.436.

Para o Fórum Sindical, no entanto, há outras formas de tratar o rombo. Uma das alternativas, por exemplo, seria ceder parte do que é arrecadado com os pedágios no estado; ou colocar em prática a Lei Complementar 560, ou utilizar o recurso do fundo de previdência para consignados em folha.

Fonte: Olhar Direto

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto


Redacao7 de dezembro de 2019
images-16.jpeg

19min00

Com instalações interativas, o circuito de atrações conta com a Casa do Papai Noel, Presépio, Floresta Encantada, Vila dos Doces e Vila das Fadas e Duendes. No entorno da arena, o público poderá desfrutar de uma infraestrutura gastronômica completa, na praça de alimentação.

“Entregamos para toda a nossa população um espaço de lazer com lindos cenários natalinos, uma estrutura nunca antes montada em Mato Grosso. E nos próximos anos vamos interiorizar, promover em outros municípios”, afirma a primeira-dama Virginia Mendes, idealizadora do projeto.

Com mais de 4 mil m² de estrutura montada, a Arena Encantada se instala no entorno do campo da Arena Pantanal, no piso sintético das laterais, atrás das traves e nos túneis de acesso aos vestiários, de maneira a preservar o gramado, que estará inacessível.

A Arena Encantada, evento dedicado à magia das festas natalinas, com instalações interativas, cenários e ambientes que recriam a histórica da maior festa cristã, é uma iniciativa do Governo de Mato Grosso, em parceria com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso e apoio da iniciativa privada.

Pórtico de entrada da Arena Encantada

Na arquitetura, um pórtico é o local coberto, na entrada de um templo, palácio ou grande edificação. No caso, o Portão F da Arena Pantanal se transforma na suntuosa entrada da Arena Encantada. É o marco de partida desse lúdico tour natalino. As luzes, cores e formas dão uma ideia do que espera o visitante na parte interna.

Floresta Encantada

Os ursos guardiões da entrada dão as boas-vindas. Reza a lenda que na véspera de Natal, os animais da floresta saem de suas tocas para comemorar o nascimento do Menino Jesus. A lenda diz ainda que à meia-noite do dia 25 de dezembro, os bichos ganham a habilidade de celebrar junto aos homens e mulheres de bom coração.

Todos comemoram numa grande festa debaixo do maior e mais antigo pinheiro da Floresta Encantada. Cada ser leva um presente para compartilhar entre todos, reforçando os espíritos de comunhão, gratidão e generosidade, característicos do Natal.

Veja Também  Paranaíta cumpre limites de aplicação de recursos e tem parecer favorável

São dessa floresta que vêm as nove renas que ajudam Papai Noel na noite de Natal. Seus nomes? Corredora, Dançarina, Empinadora, Raposa, Cometa, Cupido, Trovão, Relâmpago e Rodolfo.

Vila dos Doces

Na Vila dos Doces é onde está instalada a Fábrica de Doces de Natal. Os cenários reforçam a atmosfera das fábulas infantis na Arena Encantada. Uma simpática edificação feita de guloseimas coloridas, um lugar encantado que promete adoçar a vida dos visitantes. Tem até um moinho de vento em sua doce estrutura ornamentada com pirulitos e balas de caramelo.

Transportadora de Mel

Comandada pela família urso, próximo à Vila dos Doces está a Transportadora de Mel, uma companhia pensada para levar doçura aos homens e mulheres de boa vontade. Há que se considerar que pessoas “amargas” necessitam do mínimo da doçura para que aflorem os sentimentos mais bonitos, durante a jornada da vida.

Um dos mais antigos alimentos da humanidade, o mel foi exaltado muitos dos grandes profetas, em seus livros. O mel representa a ternura, a justiça, a virtude e a bondade divina.

Vila das Fadas e Duendes

Endereço dos mais ilustres ajudantes do Papai Noel. É graças ao auxílio dos duendes e fadas que Papai Noel consegue atender a todos os pedidos das crianças, na noite de Natal. O trabalho incansável na fábrica de brinquedos do bom velhinho garante a alegria de meninos e meninas na manhã de Natal.

É, Papai Noel estaria perdido sem seus ajudantes. Além da fabricação dos brinquedos distribuídos na Arena Encantada no dia 17 de dezembro (anote na agenda), são os duendes e fadas que adestram as renas e preparam o trenó do Papai Noel. Outra missão importante é observar se as crianças realmente se comportaram durante o ano. A essa altura, o relatório já deve estar pronto! Cruzem os dedos, crianças!

Presépio

Um dos símbolos máximos do Natal, o presépio, em escala real, é uma das mais aguardas atrações da Arena Encantada. Aqui, todos estão presentes, os animais, pastores, o anjo, os Reis Magos trazendo ouro, incenso e mirra, São José, Maria e o motivo de toda essa celebração, o Menino Jesus.

Comandada pela família urso, próximo à Vila dos Doces está a Transportadora de Mel, uma companhia pensada para levar doçura aos homens e mulheres de boa vontade. Há que se considerar que pessoas “amargas” necessitam do mínimo da doçura para que aflorem os sentimentos mais bonitos, durante a jornada da vida.

Um dos mais antigos alimentos da humanidade, o mel foi exaltado muitos dos grandes profetas, em seus livros. O mel representa a ternura, a justiça, a virtude e a bondade divina.

Vila das Fadas e Duendes

Endereço dos mais ilustres ajudantes do Papai Noel. É graças ao auxílio dos duendes e fadas que Papai Noel consegue atender a todos os pedidos das crianças, na noite de Natal. O trabalho incansável na fábrica de brinquedos do bom velhinho garante a alegria de meninos e meninas na manhã de Natal.

É, Papai Noel estaria perdido sem seus ajudantes. Além da fabricação dos brinquedos distribuídos na Arena Encantada no dia 17 de dezembro (anote na agenda), são os duendes e fadas que adestram as renas e preparam o trenó do Papai Noel. Outra missão importante é observar se as crianças realmente se comportaram durante o ano. A essa altura, o relatório já deve estar pronto! Cruzem os dedos, crianças!

Presépio

Um dos símbolos máximos do Natal, o presépio, em escala real, é uma das mais aguardas atrações da Arena Encantada. Aqui, todos estão presentes, os animais, pastores, o anjo, os Reis Magos trazendo ouro, incenso e mirra, São José, Maria e o motivo de toda essa celebração, o Menino Jesus.

Você sabia que o presépio foi criado por São Francisco de Assis com o intuito de facilitar a compreensão do nascimento de Jesus Cristo, no ano de 1223? No Brasil, a ideia do presépio foi apresentada aos índios e colonos portugueses poucos anos após o descobrimento, por iniciativa do padre José de Anchieta.

Casa do Papai Noel

Sejam bem-vindos a aconchegante Casa do Papai Noel. Aqui os visitantes poderão interagir com o bom velhinho e até fazer uma self com ele. Aliás, na Arena Encantada, o visitante pode e deve fotografar à vontade (use as hashtags #ArenaEncantada e #oMaiorNataldeMT e você pode aparecer no telão da Arena).

A Casa do Papai Noel chama a atenção por seus adornos, entalhes e afrescos repletos de enfeites natalinos. A propósito, uma das atrações mais aguardadas da Arena Encantada é a entrega de presentes. Reiterando, o bom velhinho chegará no dia 17 de dezembro para entregar brinquedos a milhares de crianças carentes, selecionadas pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

Árvore de Natal

A Árvore de Natal é um dos mais importantes símbolos das celebrações natalinas. Luzes e enfeites adornam os 15 metros de altura do pinheiro gigante da Arena Encantada. Não por acaso é uma das principais atrações desse parque natalino.

O enorme pinheiro, retirado da Floresta Encantada, simboliza a vida, já que é uma das poucas espécies que se mantêm verde durante todo o ano, mesmo durante o outono e o inverno, quando a maioria das árvores perde a folhagem. É, ao que tudo indica, este será, realmente, o maior Natal que Mato Grosso já viu.

Boas festas!

Serviço

Natal na “Arena Encantada”

Onde: Arena Pantanal

Quando: De 06 de dezembro a 05 de janeiro, sempre das 18h às 23h

Entrada: Um quilo de alimento não perecível por família (arroz, feijão, açúcar, café, macarrão e óleo).

A Arena Pantanal é uma arena multiuso localizada na Av. Agrícola Paes de Barros, s/n – Verdão, em Cuiabá.

Fonte: GOV MT


Redacao6 de dezembro de 2019
agente-de-transito.jpg

2min00

O agente municipal de Trânsito Roberto Jhonnes Passarini, de 27 anos, se envolveu em uma confusão na madrugada desta sexta (6) dentro do Chalé Beer na rua Zulmira Canavarros, Centro Norte de Cuiabá. O servidor público teve um surto, deu tiros no banheiro e foi contido por funcionários, que acionaram a Polícia Militar.

De acordo com o boletim de ocorrência, testemunhas relataram que Roberto Jhonnes chegou à casa de lanches e, em dado momento do atendimento, mostrou a arma para um dos garçons, afirmando ser agente da Secretaria de Mobilidade Urbana, a Semob. Depois de alguns minutos, ele se levantou da mesa em que estava e foi ao banheiro. Em seguida, foi ouvido um barulho de tiro vindo daquela direção.

Funcionários foram verificar o que tinha acontecido e foi quando viram Roberto com a arma na mão. De imediato, conseguiram controlá-lo e desarmá-lo. Foi observado por eles que o espelho estava quebrado devido ao disparo e resquícios da bala atingiram ainda o porta papel.

Diante da situação, testemunhas acionaram a Polícia Militar, que ao chegar ao estabelecimento encontraram o agente sentado em uma cadeira rodeado pelos funcionários. Testemunhas entregaram a arma do agente, um revolver calibre 38 com seis munições intactas e uma deflagrada.

Roberto foi então levado para a Central de Flagrantes sem uso de algemas e escoriações. Os pertences dele foram entregues para outro agente.

Fonte: RD NEWS

Foto: Reprodução


Redacao5 de dezembro de 2019
1e962b424e6cebc3052a40fd6e3b3246.jpg

3min00

Mais um projeto de autoria do deputado estadual João Batista (Pros) foi sancionado pelo Governo do Estado, desta vez, a Lei nº 11.042/2019, que dispõe sobre a restrição ao uso de áreas no entorno das unidades penais e o plano de mitigação de riscos contra o crime organizado, teve publicação no diário oficial desta quinta-feira (05).

De acordo com o parlamentar, a Lei cria a Área de Segurança Penitenciária Estadual (ASPE), no exterior dos estabelecimentos prisionais, deixando o local mais seguro tanto para os profissionais como para população. “O objetivo é evitar fugas, arremessos de objetos, de materiais ilícitos e explosões, além do contato de presos por qualquer meio, com a parte externa das penitenciárias, garantindo assim, mais segurança para a sociedade”, frisou João Batista.

Conforme o texto da matéria fica autorizado também, o patrulhamento das áreas, por agentes penitenciários de grupos especializados que atuam no Sistema, além das forças policiais de segurança pública do Estado. “Havendo necessidade, os agentes poderão bloquear vias nas adjacências das unidades, realizar abordagem em caso de atitudes suspeitas e localizando o ilícito, conduzir o infrator à autoridade policial competente”, afirma o documento.

Tomadas elétricas

Consta ainda, especificado no artigo quarto do PL, que fica vedada a instalação de tomadas de energia elétrica nas celas das penitenciárias em Mato Grosso. “Devendo ser providenciada a retirada daquelas já instaladas antes da publicação desta Lei”, diz trecho do projeto.

Na avaliação do deputado, a sociedade será beneficiada com a Lei, que garantirá mais segurança à população. “Quem ganha com isso é a população mato-grossense, através da redução da prática criminosa, restringindo até mesmo, o uso do telefone celular nas celas”, avaliou João Batista.


Redacao5 de dezembro de 2019
0d71557b7181ac84a0eff0d2f4429654.jpg

2min00

Após acidente grave, o vereador Vilmar Contini (PR), de Porto dos Gaúchos (a 594 km de Cuiabá),  morreu, na noite desta quarta (4), no Hospital Regional de Sorriso (a 420km de Cuiabá). Ele ficou gravemente ferido depois de uma colisão entre o carro dele, um Gol cinza, e um Peugeot preto, na rua Vale Dourado com a avenida Porto Belo, no bairro Rota do Sol, em Sorriso.

O vereador conhecido como Fifi, tinha 50 anos, e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros minutos depois do acidente.

Conforme informações da Polícia Civil, o Peugeot seguia pela rua Vale Dourado enquanto o Gol trafegava na rua Porto Belo.  Um dos carros, ainda não foi informado qual deles, invadiu a preferencial e houve a colisão. O vereador e um passageiro que estava com ele permaneceram no veículo até serem removidos pelo Corpo de Bombeiros.

Já a motorista do Peugeot passou mal por conta do nervosismo e também recebeu atendimento dos bombeiros.

O corpo do vereador foi levado para o IML de Sorriso onde será feita necropsia e deve ser trasladado para Gaúcha do Norte ainda nesta nesta quinta (5). O local do velório ainda será definido.

Fifi era filiado ao PR e estava exercendo o primeiro mandato. Foi o mais votado no pleito de 2016 com 292 votos. As causas do acidente serão investigados pela Polícia Civil.

Fonte: RD NEWS


Redacao5 de dezembro de 2019
amarelinhos.jpg

4min00

A secretária adjunta de Mobilidade Urbana, Luciana Zamproni, disse que o vídeo onde os agentes de trânsito aparecem atropelando o mototaxista é “chocante” e defendeu a punição dos envolvidos.

O incidente ocorreu na manhã de terça-feira (3), no Bairro Altos da Serra 2, na Capital, mas só veio à tona nesta quarta-feira (4). Nas imagens, dois “amarelinhos” perseguem e atropelam um mototaxista com uma viatura da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

“O vídeo é muito chocante. Mas serão punidos nos rigores da lei, com certeza”, afirmou.

Luciana se referiu aos servidores envolvidos no atropelamento como “bananas podres” e ainda avaliou que a dupla não tem condições psicológicas para atuarem nas ruas. “O que nós fazemos no primeiro momento é afastamento imediato da rua, obviamente, porque eles não têm condições de estarem lá. […] Eu acho que tirar a banana podre de um cacho é muito fácil”, enfatizou.

A subsecretária defendeu o afastamento imediato dos agentes e que, caso comprovado o crime, eles deverão ser punidos de acordo com a legislação. “Devemos punir aqueles que agem de forma errada. E é o que nós faremos”.

Prefeito oferece emprego à vítima

Após afastar os agentes de trânsito, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) reforçou que a investigação, por meio do processo administrativo disciplinar (PAD), será tratada como “prioridade e com seriedade”. O processo será encaminhado para a Procuradoria Geral e os servidores poderão, ao final, ser demitidos.

Além da punição aos servidores, o prefeito ainda afirmou que solicitou que o secretário da Pasta, Antenor Figueiredo, entrasse em contato com o mototaxista e oferecesse, em seu nome, um cargo na Secretaria.

De acordo com Pinheiro, esta é uma forma de “amenizar a dor emocional” que a vítima e sua família têm sofrido após o incidente.

Perseguição e atropelamento

A Semob divulgou uma nota afirmando que os agentes tinham solicitado que o mototaxista, de identidade não revelada, parasse durante uma abordagem e ele não obedeceu.

Conforme os “amarelinhos”, a vítima fugiu em alta velocidade e por isso perdeu o controle da direção e acabou caindo.

No entanto, as imagens mostram o profissional sendo perseguido pela viatura e em seguida sendo atingido.

Populares que estavam no local se revoltaram e atiraram pedras e tijolos no carro, destruindo o parabrisas.

Os agentes informaram que o mototaxista não teria licença para atuar ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Ele ainda teve a moto apreendida pelos agentes.

Veja o atropelamento:

Fonte: Mídia News


Redacao3 de dezembro de 2019
c21df590b84d5cfd728c429dcec9f8af.jpg

8min00

Um grupo de fiéis e de amigos do padre Jhonatha Almeida da Silva resolveu fazer uma carta em que defendem publicamente a conduta dele. Nela, afirmam que tiveram contato direto com o pároco e, por isso, conhecem a sua índole.

O grupo, formado por de 78 pessoas, afirma que o padre teve o seu mistério marcado pela missão de evangelização com jovens e que sempre demonstrou muita responsabilidade e seriedade em seu trabalho. “Sempre foi muito respeitoso com todos os jovens com quem ele se aproximou, um verdadeiro sinal de Cristo em nosso meio”.

A carta é assinada por pessoas que trabalharam com Jhonatha e também por amigos do padre. Ela ressalta que ele foi vigário da paróquia São José Esposo e, por um ano, atuou como pároco da São João Bosco tendo atuado no serviço pastoral, espiritual e social com toda a comunidade.

De acordo com site RD NEWS, o padre teria sido afastado, a princípio, por três meses da atividade. A comunidade teria sido comunicada, sem detalhes do motivo, em uma missa. “Cada um que conhece o padre pode com certeza afirmar que sua conduta foi ética, responsável e moral”, diz trecho da carta, que critica a divulgação das informações de denúncia feita por um menor em 12 de novembro.

 Entenda o caso:

Dois padres de Rondonópolis-MT, são suspeitos e estão sendo  investigados por suposto estupro. Segundo boletim de ocorrência  Jhonatha Almeida da Silva e Thiago Silveira Barros  foram denunciados pelo menor de 17 anos que seria a vitima.

O menor afirma que manteve um relacionamento com Thiago dos 13 anos até os 17 anos. E que, em 29 de julho, decidiu terminar o namoro e acabou sendo violentado. Para que não denunciasse o caso, o sacerdote entregou R$ 50 ao jovem.

Consta no BO que, ao procurar a polícia, junto com uma tia, o adolescente entregou conversas que manteve com o padre e que comprovariam a relação. O rapaz detalha na ocorrência policial que as investidas do padre Thiago começaram após a vítima se confessar com ele.

À época, com 13 anos, afirma que, antes de ir para a Formação de Adolescentes Cristãos (FAC), em setembro de 2015, teve um relacionamento com um colega de sala de aula da mesma idade. Depois, decidiu confessar a situação ao padre Thiago que, segundo o relato, começou a se aproximar dele e, com isso, a pedir “nudes” (fotos sem roupa), o que foi atendido pelo jovem.

Trecho do BO registrado, que explica como o menor começou a se relacionar com padre Thiago Silveira Barros.

O padre, então, passou a levá-lo ao shopping da cidade para lanchar e ainda lhe dava dinheiro “tentando conquistá-lo”, diz trecho do BO. E, em um dia, o padre levou o menino para a casa da avó onde, segundo registro no BO, tiveram a primeira relação sexual.

A vítima, hoje com 17 anos, diz que, a partir daí, engataram um relacionamento e que ambos permaneceram juntos até este ano – leia acima, um dos trechos.

Durante os quatro anos de relacionamento, o menor menciona que chegaram a manter relação sexual com uma terceira pessoa, outro coroinha da Paróquia São José Operário. O adolescente relata também que, em um dos encontros, Thiago lhe confidenciou que teve uma relação com outro coroinha e que este menino ameaçou denunciá-lo. A situação teria sido resolvida com a compra de um aparelho celular.

O adolescente diz também que o padre foi transferido para Alto Garças (a 357 km de Cuiabá), mas que continuou a levar outros coroinhas para a cidade. O boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher em Rondonópolis, na manhã de 12 de novembro, pela tia do menor.

Ela relata que decidiu procurar o sobrinho para saber o que estava acontecendo após um “aconselhamento” de outro padre. O menor então teria revelado a situação a ela. A Especializada pediu exame de corpo de delito da vítima, que entregou conversas que manteve com o padre à polícia.

Outro padre

Com 15 anos, o menino conta que padre Thiago enviou o contato dele para o padre Jhonatha e que ele se encontrou com o mesmo na frente do salão paroquial da igreja São José Operário. A vítima não conta qual foi o teor da conversa com Jhonatha. Não fica clara também qual foi a conduta dele.

Em relação a ao padre Jhonatha, no boletim, ficam registrados a apuração dos crimes de “aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, crianças com o fim de com ela praticar ato libidinoso (consumado), favorecimento à prostituição ou outra forma de exploração sexual de menor de 18 anos e maior de 14 anos (consumado). Corromper ou facilitar a corrupção de menores, utilizando-se de meios eletrônicos (consumado)”.

Já em relação a Thiago, o caso foi registrado como investigação dos crimes de “aliciar, assediar, instigar ou constranger por qualquer meio de comunicação, estupro (consumado), favorecimento à prostituição ou outra forma de exploração sexual de menor de 18 anos. Estupro de vulnerável consumado, além de corromper ou facilitar a corrupção de menores, utilizando-se de meios eletrônicos (consumado)”.

As informações foram publicadas pelo site RDNEWS, que teve acesso em primeira mão ao Boletim de Ocorrência.

Fonte: RD NEWS/ MARRETA URGENTE

Foto da Carta: RD NEWS

Foto do padre: Reprodução


Redacao3 de dezembro de 2019
WhatsApp-Image-2019-12-02-at-15.52.56-1280x722.jpeg

5min00

A população de Bom Jesus do Araguaia deu um verdadeiro exemplo de democracia participativa, com a presença em massa, na audiência pública realizada nesta segunda-feira (02) promovida pelos deputados estaduais João Batista (Pros) e Thiago Silva (MDB). Cerca de 900 pessoas lotaram o ginásio de esportes da cidade, com o objetivo de debater a pavimentação asfáltica da MT-433.

O deputado João Batista, destacou a importância da participação da sociedade em debates com este. “Fico extremamente feliz em ver que a população está interessada em debater conosco esse tema. Eles são os mais afetados com a falta de infraestrutura nessas rodovias, e hoje mostraram que estão dispostos a lutar por melhorias para suas regiões. Parabenizo cada munícipe que esteve presente neste ato de debate social”, ponderou o parlamentar, autor da audiência pública.

Segundo Thiago Silva, o desenvolvimento da região Araguaia passa pela chegada do asfalto neste trecho da MT-433. “Este debate nos foi solicitado por meio do pedido dos munícipes da região, que sofrem com buracos e atoleiros nas estradas de terra, por isso fomos até o local debater junto da população”, disse o deputado coautor do requerimento.

Alan Jones (Pros),  vereador de Bom Jesus do Araguaia, agradeceu a iniciativa dos deputados em promover o debate com a população e destacou o histórico constante de acidentes registrados na rodovia.

“Em determinados trechos da rodovia, só há espaço para passar um veículo, colocando em risco diariamente a vida de centenas de pessoas que por ali trafegam. Por esse motivo, estive no gabinete do deputado João Batista, juntamente com o Raimundinho, presidente do Pros aqui do município, reivindicando a realização desse debate promovido aqui no município. Muito obrigado deputado João Batista, por atender nosso clamor”, agradeceu Alan.

Outro militante da causa é o vice-prefeito da cidade de Alto Boa Vista, Jailton da Farmácia (Pros), que ficou satisfeito com o resultado da audiência e  ressaltou a importância de promover o debate que levará progresso para os munícipes.

“Quero agradecer de coração, o empenho dos parlamentares em prol da nossa região Araguaia. Esperamos que a pavimentação chegue o mais rápido possível, pois o desejo de qualquer cidadão que vive em localidades sem pavimentação asfáltica é poder sair de sua região e chegar com conforto e segurança em seus lares. Diariamente percorrem essas estradas, muitos pacientes em ambulância, alunos em transporte escolar, dentre outros, portanto é extremamente necessário o asfaltamento urgente da MT-433”, concluiu Jailton.

Neri Geller (PP), deputado federal presente no encontro, explicou que até o momento o que está consolidado em tratativa com o Governo do Estado é o asfaltamento de 22 km, entre o trecho que liga a localidade de Alô Brasil atém Bom Jesus do Araguaia. “Parte da realização destas obras já está acertada com o governador Mauro Mendes, através da emenda impositiva destinada para asfalto. A pavimentação desses 22 quilômetros está previsto para início em 2020. Os demais trechos solicitados serão discutidos futuramente”, detalhou Geller.

O evento contou com a presença do deputado estadual Paulo Araújo (PP), do prefeito de Bom Jesus do Araguaia Ronaldo Rosa (DEM), além de autoridades, representantes das forças policiais e lideranças partidárias.


Redacao2 de dezembro de 2019
Isosa-agredida.jpg

5min00

O fim de semana foi agitado na baixada cuiabana, desta vez, uma jovem membro da família do prefeito de Santo Antônio de Leverger (35 km de Cuiabá) agrediu a idosa, Agostinha Maria de Melo Teixeira de 62 anos, na noite deste último domingo (01). As agressões partiram de Giulyana Andressa de Araújo Dias, de apenas 25 anos de idade. De acordo com informações de moradores da região, a moça é prima da sogra do prefeito da cidade.

Segundo informações que constam no boletim de ocorrências, a vítima estava sentada em sua residência, conversando com o vereador Adelmar Galio (PSDB), quando a jovem chegou proferindo ofensas e palavras de baixo calão contra o parlamentar.

“Estávamos sentados conversando na porta da minha casa, ela [Giulyana], já veio em nossa direção xingando o Adelmar, falou coisas horríveis, ela estava extremamente desequilibrada, descontrolada e agressiva. Me empurrou rasgou toda minha roupa e o tempo todo xingando o vereador de todo quanto é nome feio” afirmou dona Guta como é popularmente conhecida na região.

Em entrevista ao portal Transparência MT, Adelmar Galio relata que a suspeita quebrou seu telefone celular, no momento em que o vereador acionava apoio da Polícia Militar. “Ela chegou, proferindo insultos e ofensas contra minha pessoa, pedi para que ela se acalmasse, ela não aceitou ser chamada de senhora e por ela ser dentista, pediu que eu a tratasse de doutora, daí o timbre de voz aumentou e a agressividade também”, contou o vereador.

O parlamentar acredita que o ataque seja proveniente de uma denúncia realizada no mês de agosto, por funcionários de onde Giulyana trabalha, e na época ele tornou público os fatos.

“Acredito que esse ataque contra mim, foi motivado por uma denúncia feita por servidores da sede municipal onde ela trabalha, localizada na região central de Santo Antônio. Na época, os funcionários relataram que ela recebia uma verba indenizatória irregular do município. Por atuar em zona urbana, a dentista deveria receber R$ 550, mas estava recebendo R$ 1.100, que equivale para profissionais que trabalham na zona rural. Como membro do parlamento municipal tomei conhecimento dos fatos e dei publicidade à denúncia, só pode ser por esse o motivo a revolta dela”, afirmou Adelmar Galio consternado com a situação.

Por telefone, dona Agostinha lamentou todo o fato, com a voz embargada de choro, disse que após o acontecimento teve que ser hospitalizada.

“Fui parar no hospital com pressão alta, tenho o laudo médico, com minha pressão quase 20. Por Deus que está no céu, ninguém falou nada para essa moça agir assim, ela que veio em nossa direção furiosa, o dono da farmácia viu o momento que ela chegou na minha casa. Agora ela está distorcendo toda história, falando mentiras por aí”, completou Agostinha.

O vereador informou para equipe de reportagem, que após comparecerem no Cisc Verdão em Cuiabá, para registro da ocorrência, ambas as partes já foram intimadas, irão comparecer no dia 05/12 na delegacia e posteriormente será marcada uma audiência de conciliação.

O outro lado

A jovem que é servidora contratada pela secretaria municipal de saúde da prefeitura de Santo Antônio de Leverger relatou no B.O. que estava fazendo caminhada nas proximidades da casa de Agostinha, quando o vereador e a idosa começaram as provocações (…) e ela [Giulyana] saiu correndo.


Redacao30 de novembro de 2019
image_preview.jpeg

7min00

Os ribeirinhos residentes na comunidade tradicional da Barra de São Lourenço estão autorizados a praticar pesca profissional artesanal, inclusive coleta de iscas, em algumas áreas delimitadas da Zona de Amortecimento do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense.

A decisão foi proferida pela Justiça Federal em Corumbá (MS) após uma longa audiência de instrução, realizada em 27 de novembro, com a oitiva de diversos especialistas e integrantes da comunidade. Trata-se de tutela provisória, ou seja, uma decisão tomada com base na urgência da situação e de caráter provisório, enquanto a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) que trata da questão continua a tramitar normalmente.

A decisão é histórica, pois amplia a autorização para pesca e coleta de iscas em áreas próximas àquela ocupada pela comunidade, às margens dos rios Paraguai e São Lourenço/Cuiabá, na Zona de Amortecimento do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense (PNPM), unidade de conservação de proteção integral.

A decisão foi proferida com base em uma série de estudos, inclusive parecer técnico elaborado pela Embrapa Pantanal, que garantem que as atividades pesqueiras e extrativistas da comunidade não comprometem os recursos naturais do local. Pelo contrário, o conhecimento por elas aplicado ajuda a garantir a preservação desses recursos que, por sua vez, garantem a sobrevivência dos ribeirinhos.

Cumpre ressaltar que o alcance da decisão se limita à população já mapeada da comunidade tradicional da Barra de São Lourenço, não se estendendo a nenhuma outra pessoa que não resida na área nem seja integrante da comunidade. Além disso, a decisão não isenta do cumprimento de todas as demais normas incidentes sobre a pesca, como períodos de defeso, petrechos proibidos, tamanho do pescado, tampouco se confunde com o debate que está acontecendo em torno do Decreto Estadual 15.166/2019, que instituiu a chamada “cota zero”.

Omissão do ICMBio – Durante a audiência de instrução, confirmou-se o que os autos da ACP registravam: o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), entidade responsável pela criação, manejo, proteção e gestão das unidades de conservação, tem sido omisso para assegurar as condições mínimas adequadas de fiscalização da integridade dos recursos pesqueiros no PNPM, o que impõe pressão sobre seus recursos naturais. Foram relatados casos de violações das proibições sobre ele incidentes, como pesca amadora no parque, assim como uso de petrechos proibidos em seu interior e zona de amortecimento.

Além disso, o plano de manejo do PNPM foi originalmente publicado pelo ICMBio em 2004, e foi revisado para considerar as necessidades da comunidade tradicional apenas em outubro de 2019, após pedido do MPF e decisão judicial liminar proferida em fevereiro de 2017. A revisão do plano de manejo, que foi publicada na portaria nº 633/2019, apesar de tardia, também pode ser considerada histórica por ter reconhecido a comunidade da Barra de São Lourenço como tradicional, deixando de tratá-los como “agricultores”.

Entenda o caso – Há mais de 20 anos a comunidade tradicional da Barra de São Lourenço reivindica o direito ao usufruto sustentável do lugar em que habita. A partir da implantação do Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense, os ribeirinhos da localidade encontram-se cerceados no direito de permanecer fazendo o que eles sempre fizeram: pescar, coletar iscas, lenha e palha para a cobertura das moradias. De um lado, a garantia de preservação ambiental preconizada pelas proibições inerentes a uma unidade de conservação; do outro, seres humanos que vivem isolados e que dependem da extração sustentável de recursos naturais para sobreviver.

O MPF em Corumbá acompanha a situação há anos. Inquérito Civil instaurado em 2013 já reunia uma série de questões relativas às dificuldades enfrentadas pelos ribeirinhos, especialmente a repressão sofrida por órgãos fiscalizadores com base nas restrições estabelecidas pelo plano de manejo do PNPM.

Em 2016, o MPF ajuizou Ação Civil Pública (ACP) com a finalidade de garantir a subsistência da comunidade por intermédio da pesca de subsistência e do extrativismo sustentável na área em questão, “tendo em vista se tratar de região reconhecidamente utilizada por populações tradicionais ao longo gerações, antes mesmo da instituição do referido Parque Nacional (conforme se depreende do seu plano de manejo)”.

Com base em informações provenientes de pesquisas científicas, a ACP esclarece, entre outros pontos, que as comunidades tradicionais cuidam, com a utilização do conhecimento tradicional, dos recursos naturais e do meio ambiente, considerando que deles depende a sua sobrevivência.

A primeira decisão liminar favorável foi a de fevereiro de 2017, que determinou a revisão do Plano de Manejo ouvindo a comunidade, o que culminou na edição da portaria nº 633/2019. Mas somente a tutela provisória publicada nesta quarta-feira, 27 de novembro, assegura o uso dos recursos naturais e, consequentemente, o modo de vida tradicional da comunidade.

Os próximos passos no bojo da ACP serão a apresentação de alegações finais por parte do MPF, do ICMBio e do Ibama e, depois, a sentença judicial. A tutela provisória vale enquanto a ACP não transita em julgado ou não há decisão diversa, conforme as condições por ela estabelecidas.