Autor: Bruno Barreto

Bruno Barreto30 de julho de 2019
Nota-MT.jpg

5min6640

Entidades de Mato Grosso que desejam participar do primeiro sorteio do Programa Nota MT têm até quarta-feira (31.07) para se cadastrarem junto a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc-MT). Até o momento, 88 instituições sociais estão inscritas.

O Nota MT distribuirá prêmios aos consumidores e às entidades sociais sem fins lucrativos cujos valores variam entre R$ 500 e R$ 50 mil. O primeiro sorteio mensal será realizado na próxima segunda-feira (08.07).

Funciona assim: o consumidor mato-grossense que se cadastrar no Programa “Nota MT”, via site ou por aplicativo de celular, irá indicar uma entidade. Caso o consumidor seja sorteado, 20% do valor do prêmio será destinado à entidade que ele indicou em seu cadastro. Após o cadastro, todas as notas emitidas com o CPF do consumidor irão automaticamente para o banco de dados, gerando assim dois bilhetes, um para os sorteios mensais e outro para os sorteios especiais.

O programa é uma iniciativa do Governo do Estado de Mato Grosso, de acordo com a Lei 10.893/2019, de incentivo ao exercício da cidadania fiscal com a intenção de estimular, mediante premiação em sorteios, os cidadãos a exigirem a emissão do documento fiscal nas aquisições de mercadorias. Até o final do ano serão sorteados mil prêmios no valor de R$ 500, cinco no valor de R$ 10 mil e 10 prêmios de R$ 50 mil.

A secretária da Setasc, Rosamaria Carvalho, explica que além do programa, a entidade estará inclusa no banco de dados da Secretaria. “Dessa forma, a entidade pode participar de ações sociais e outras ações realizadas pela Pasta”.

Cadastro das entidades

O cadastramento junto a Setasc permitirá que entidades tenham acesso a outros projetos, programas do governo, doação de produtos, entre outros. No cadastro das entidades é preciso que as entidades informem os nomes dos presidentes ou responsáveis, telefones, e-mails e público-alvo, como instituições que atendam majoritariamente pessoas em vulnerabilidade social, indígenas e quilombolas, por exemplo.

Instituições e/ou associações interessadas em atualizar os dados ou fazerem parte deste banco da Setasc devem mandar um e-mail para o endereço: gabinetesac@setasc.mt.gov.br/ colocar no título “Atualização Cadastral – Nome da entidade” ou acessar a página virtual da Setasc.

Outras duas opções: ligar no telefone (65) 3613-4705 ou ainda procurar a Secretaria, no setor Cidadania e Inclusão Socioprodutiva, e atualizar pessoalmente. O endereço da Setasc é Rua Júlio Domingos de Campos, nº 100, Centro Politico Administrativo (CPA), em Cuiabá.

Consumidor

Termina também na quarta-feira, o prazo para que os consumidores façam seu cadastro no Programa Nota MT e participem do primeiro sorteio. O cadastro pode ser no aplicativo ou no site da Nota MT. Para se cadastrar é preciso escolher a opção “criar conta” e informar os dados solicitados. Os dados são obrigatórios para prosseguir o cadastro e estão protegidos sob sigilo. De acordo com a Secretaria de Fazenda (Sefaz) cada nota fiscal emitida com o CPF gera dois bilhetes, um para o sorteio mensal e outro para o sorteio especial, independente do valor da compra.

Direto da Setasc-MT


Bruno Barreto30 de julho de 2019
Operação-Bairro-Seguro.jpg

2min6020

Ação policial deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) resultou na prisão de oito autores de delitos criminais que atuavam nas regiões Norte e Noroeste do Estado. A operação repressiva foi realizada nos municípios de Guarantã do Norte, Marcelândia, Matupá, Peixoto de Azevedo, Novo Mundo, Colniza, Aripuanã e Distritos de Taquaruçu do Norte, Guariba e Nova União.

Durante as operações, encerradas na última semana, foram deflagradas as fases ostensiva e repressiva. O foco destas ações é realizar patrulhamento nas regiões centrais e periferia dos municípios.

No período foram empregados 158 profissionais da Polícia Militar e da Polícia Judiciária Civil que cumpriram 32 mandados de buscas e apreensões. Além das prisões, foram apreendidas sete armas de fogo e abordadas 741 pessoas e 378 veículos.

“Nossa política de segurança pública tem sido concentrar esforços na atuação preventiva e repressiva em todo o Estado. O foco é reduzir os índices de violência em várias frentes, mas, principalmente, nos crimes contra a vida, roubo e furto”, ressalta o secretário-adjunto de Integração Operacional da Sesp, coronel PM Victor Paulo Fortes.

Direto da Sesp-MT


Bruno Barreto30 de julho de 2019
CÓRREGO-8-DE-ABRIL-02.jpeg

7min5980

Após dois meses da retomada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), as obras de recuperação de pontos críticos do Córrego Mané Pinto, na Avenida Oito de Abril, no bairro Porto, em Cuiabá, avançam e o local começa a ganhar nova cara. O contrato para revitalização do córrego, idealizado para Copa de 2014, estava rescindido e foi restabelecido por ordem judicial.

Os trabalhos recomeçaram em junho e inicialmente estão sendo “atacados” pontos tidos como emergenciais, localizados, principalmente, nos entroncamentos das Avenidas São Sebastião e Ipiranga.

O secretário-adjunto de Obras Especiais, Isaac Nascimento Filho, explica que equipe técnica da Sinfra identificou que seria necessário, a princípio, concentrar os esforços nos serviços emergenciais porque ao menos oito pontos do córrego apresentavam risco de desabamento e ofereciam perigo à população que trafega na região.

“Detectamos desmoronamento nas paredes (talude), na parte inclinada do córrego. Para resolver o problema, primeiramente tratamos o fundo do canal e trabalhando nos taludes, com intenção de evitar novas ocorrências”, explicou ele.

Segundo a equipe técnica da Sinfra, os pontos de desmoronamento do córrego foram ocasionados pela infiltração da água da chuva, que provocou o escorregamento das placas nas paredes do córrego, deixando o aterro exposto.

“A medida que aumentaram as chuvas as placas foram levadas, gerando a erosão na margem da via”, relatou o engenheiro Adelmo Barros, que integra a superintendência de Gestão de Obras Especiais da Sinfra.

Para resolver a situação, foi realizada a reestruturação do fundo do canal do Córrego Mané Pinto, com a utilização dos chamados colchões reno, estruturas drenantes feitas com gabiões, e ainda a recomposição das paredes, com uso da mesma técnica, visando a proteção e a estabilização da margem.

“Por cima desses colchões é colocada ainda uma camada de concreto e é realizado, posteriormente, o acabamento. Com esse serviço, não haverá mais desmoronamento nesses pontos”, garantiu o engenheiro.

O superintende de Gestão de Obras Especiais, Edson Nivaldo Brasil de Oliveira, destacou que os serviços estão bastante avançados e que o trabalho vem sendo acompanhado de perto pela equipe de engenharia com a ajuda também de programas de alta tecnologia que possibilitam a visualização do canteiro de obras de forma real na tela do computador. “Dessa forma podemos fazer o antes e o depois, e comparar o quanto avançou”, revelou.

Obra retomada

A revitalização do Córrego Mané Pinto, na Avenida Oito de Abril, é uma obra de 2012, lançada visando a melhoria da região do bairro do Porto para a Copa de 2014, na qual Cuiabá foi uma das sedes. Até 2019, 67,3% dos serviços previstos em projeto haviam sido concluídos.

No ano de 2018, o contrato com construtora responsável da obra acabou sendo rescindido pelo não cumprimento do cronograma de execução. Porém, este ano, por decisão judicial, o rompimento foi suspenso e a construtora reassumiu os trabalhos. A ordem de reinício dos serviços foi emitida à empresa dia 5 de junho de 2019 e as atividades seguem no canteiro de obras.

Conforme o superintendente de Gestão de Obras Especiais, Edson Brasil, quase 70% da obra já havia sido concluída até 2014 com destaque para pavimentação da Avenida Oito de Abril e também toda a parte de instalação do tronco coletor de esgoto, que possibilitará que os dejetos não sejam mais jogados no córrego.

“O que falta fazer agora da obra como um todo é a revitalização do córrego, a adequação de todas as rotatórias ao longo da via, bem como a urbanização e a interligação dos ramais de esgoto que caem hoje no canal. Após a conclusão da obra, será uma mudança grande na região, inclusive o odor existente agora praticamente vai acabar”, avaliou ele, dizendo que o esgoto uma vez jogado no tronco coletor será levado para estação de tratamento no bairro Dom Aquino, deixando de ficar a céu aberto.

Cronograma

Pela ordem de reinício de serviço, publicada no Diário Oficial, a obra completa de revitalização do Córrego Mané Pinto é de 15 meses, com cronograma até o final do segundo semestre de 2020. “O projeto já foi refeito e definido. Essa é uma obra que veio agora para seguir e ser concluída”, afirmou o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, dizendo que todos os esforços da pasta são nesse sentido.

Direto da Secom-MT


Bruno Barreto30 de julho de 2019
48388385831_b5b2769a45_o.jpg

5min3760

O baiano Isaquias Queiroz superou a difícil estreia no último sábado (27), nos Jogos Pan-Americanos de Lima, quando o parceiro Erlon Souza sofreu um mal súbito durante a disputa de duplas (C2 1000). O medalhista olímpico pegou a dianteira nos primeiros 500m na prova C1 10000. Na reta final, o o combate foi remada a remada contra o cubano Fernando Jorge, vice-campeão mundial na categoria. O brasileiro levou a melhor: completou em primeiro lugar o percurso em 3m47s631.

Em segundo lugar, com a prata, ficou o cubano, com o tempo de 3m48s57; e em terceiro, o canadense Drew Hodges,que levou o bronze, com 3m58s454. As provas de canoagem estão sendo realizadas na Laguna de Meio Mundo, no Parque Natura de Albufera, a 180 quilômetros da capital, Lima

Foi a quarta medalha de Isaquias Queiroz em Jogos Pan-Americanos, e a única no Pan de Lima. A outra chance de o baiano subir ao pódio era na prova de duplas C2 1000, no sábado, junto com Erlon que passou mal. Na Rio 2016 Isaquias Queiroz conquistou duas pratas e um bronze para o Brasil

Mais cedo, outro canoísta brasileiro, Vagner Souta ganhou o bronze, na prova K1 1000, com o tempo de 3m35s960. Souta lutou muito com o canadense Marshall Hughes, pela segunda colocação, mas não deu: Hughes chegou 53 centésimos de segundo antes do brasileiro: completou o percurso em 3m35s907 e faturou a prata. O vencedor da prova foi o argentino Augustin Vernice com o tempo de 3m31s995.

Triatlo
A equipe brasileira formada por Luisa Baptista, Vittoria Lopes, Manoel Messias e Kauê Willy subiu ao lugar mais alto do pódio na manhã desta segunda-feira (29), ao vencer o revezamento misto, a última da modalidade nos Pan-Americano.

O Brasil começou bem a prova: Luísa abriu a competição dos 300 metros de natação e foi a primeira a sair do mar. Depois percorreu 6,6 quilômetros de bicicleta e 1,5 6,6 quilômetro de corrida, terminando na primeira colocação. Em seguida, Kawê Willy caiu para a vice-liderança, ao ser ultrapassado na prova de natação. Na terceira prova, Vittória Lopes retomou a liderança: alcançou a líder canadense e a ultrapassou no volta única de ciclismo. Manoel Messias manteve-se à frente até cruzar a linha de chegada em primerio lugar.

Foi a quarta medalha do triatlo brasileiro: Luísa Baptista já havia conquistado o ouro no individual feminino, e Vittória Lopes ficou com a prata. No masculino. Manoel Messias também já havia faturado a prata no individual masculino.

Domingo
Na noite de domingo (28), o lutador paraibano Edival Marques, o Netinho, de 21 anos, conquistou o ouro no taekwondo, na categoria 68Kg, depois de uma final emocionante contra o dominicano Bernardo Pie.

Netinho teve dificuldades para superar o dominicano, mas conseguiu reagir no último round e virou o placar a seu favor disparando um chute na cabeça do adversário. Vitória do brasileiro por 17 a 14, que lhe garantiu mais 40 pontos no ranking mundial. A prata ficou com o chileno Fernando Aguierre e o bronze, com o canadense Nkogho. A medalha de ouro conquistada por Netinho pôs fim a um jejum de 12 anos do Brasil na categoria dos 68Kg, no taekwondo.

O desempenho brasileiro na ginástica artística masculina também foi excepcional no Ginásio Villa El Salvador. A equipe brasileira, formada pelos ginastas Arthur Zanetti, Arthur Nory, Caio Souza, Chico Barreto e Luis Porto, ficou em primeiro lugar e conquistou o ouro, com um total de 250.450 pontos. Os brasileiros deixaram para trás os Estados Unidos, que totalizaram 249.400 pontos e ficaram com a prata. Terceiros colocados, os canadense levaram o bronze (246.725).

Com o ótimo resultado, o Brasil garantiu vaga para 12 finais: duas serão hoje, às 20h, com os ginasas Arthur Nori e Caio Souza, na disputa individual geral. Cláudia S. Rodrigues


Bruno Barreto30 de julho de 2019
marcelo-bretas-juiz-2017-022-1280x853.jpg

4min3830

O juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, negou nesta segunda-feira (29) o pedido de soltura do economista Lineu Castilho Martins, preso na Operação C”est Fini, desdobramento da Lava Jato no Rio, que atuava como operador financeiro do ex-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ), Henrique Alberto Santos Ribeiro. Lineu era o responsável por entregar a propina que chegaria ao ex-governador Sérgio Cabral oriunda do esquema do DER-RJ.

A defesa de Lineu havia pedido a suspensão do processo ao qual responde com base na decisão recente do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que . determinou, com base no poder geral de cautela, a suspensão do processo de todos os inquéritos e procedimentos de investigação criminal (PIC’s) atinentes aos Ministérios Públicos Federal e estaduais, em trâmite no território nacional, que foram instaurados à míngua de supervisão do Poder Judiciário e de sua prévia autorização sobre os dados compartilhados pelos órgãos de fiscalização e controle, como o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e o Banco Central, que vão além da identificação dos titulares das operações bancárias e dos montantes globais, decidido pela Corte Suprema.

O juiz Marcelo Bretas detalhou na decisão, que “ não havendo nestes autos qualquer discussão quanto à atuação da Receita Federal, entendo que a decisão do ministro Dias Toffoli a eles não se aplica. Por fim, esclareço que nenhuma das decisões proferidas, mormente na ação penal, teve como fundamento exclusivo o relatório do COAF”.

Em outro trecho da decisão, o juiz Bretas escreveu: “O MPF logrou trazer outros elementos, muitos dos quais obtidos de forma independente do trabalho do COAF, para corroborar suas alegações e, consequentemente, embasar as decisões. A título de ilustração, destaco que a denúncia foi instruída com 37 documentos, o que equivale dizer que a ausência ou a retirada do relatório do COAF não modificaria as decisões até agora tomadas.”

O juiz Bretas escreveu ainda na decisão que “finalmente, consigne-se que antes que qualquer medida invasiva contra os acusados, seja na esfera patrimonial, seja no tocante a sua liberdade, fosse efetivada, já havia esse juízo proferido decisões cautelares específicas, de forma que os direitos fundamentais dos envolvidos já estavam sob a devida e necessária tutela judicial. Todas estas situações demonstram que, no caso específico dos temas tratados nestes autos, não tem aplicabilidade a determinação de suspensão emanada pelo STF. Por tudo quanto exposto, indefiro o pedido formulado pela defesa de Lineu Castilho Martins e determino o prosseguimento da ação”.

Direto da Agência Brasil


Bruno Barreto30 de julho de 2019
48409387117_f025023b1c_o.jpg

6min6030

No sexto dia de disputas dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil conquistou importantes medalhas em diferentes modalidades. Mas o grande destaque foi o taekwondo, com marcas históricas sendo batidas nesta segunda (29).

A conquista de maior destaque da equipe de taekwondo do Brasil hoje veio no início da noite, com o ouro conquistado por Milena Titoneli na categoria até 67 kg. Em uma luta parelha a brasileira derrotou a norte-americana Paige Pherson por 9 a 7. Com o triunfo, Milena se tornou a primeira mulher brasileira campeã do taekwondo nos Pan-Americanos.

Havia a expectativa de mais um ouro nesta segunda. Mas Ícaro Martins acabou derrotado, por 19 a 17, pelo colombiano Miguel Angel Trejos na final da categoria até 80 kg, e garantiu a prata após uma luta muito emocionante.

Com isso o Brasil alcançou sua melhor campanha no taekwondo na história dos Jogos Pan-Americanos, com 7 medalhas conquistadas.

Mas a primeira medalha do Brasil no taekwondo, nesta segunda, veio com o medalhista olímpico Maicon Andrade. Após derrotar o equatoriano Jesus Perea ele levou para casa a medalha de bronze na categoria acima de 87 kg.

Outro terceiro lugar alcançado hoje na modalidade veio com Raiany Fidelis, que derrotou a venezuelana Carolina Fernandez na categoria acima de 67 kg.

Bronze na ginástica artística
Na ginástica artística, Flávia Saraiva fez uma ótima apresentação no solo, alcançando a melhor nota do dia neste aparelho, e conquistou a medalha de bronze no individual geral. No total a brasileira somou 54.350 pontos, fincando atrás apenas da canadense Ellie Black, que ficou com o ouro ao alcançar 55.250, e da canadense Riley McCusker, que garantiu a prata ao somar 55.125.

Este é o segundo bronze de Flávia Saraiva no individual geral em Jogos Pan-Americanos. Em 2015, em Toronto, ela alcançou a mesma marca. A segunda brasileira nesta decisão, Thaís Fidelis, ficou na sexta posição.

Bronze no hipismo – Vaga em Tóquio 2020
Outro bronze obtido hoje foi no adestramento por equipe do hipismo. Porém, a terceira posição obtida pelos brasileiros Pedro Tavares, Leandro da Silva, João Paulo dos Santos e João Victor Marcari teve um sabor especial. Esta posição garantiu a presença brasileira na modalidade na próxima edição dos Jogos Olímpicos, que será realizado ano que vem em Tóquio.

Bronze no pentatlo moderno
Também em equipe, mas no pentatlo moderno feminino, o Brasil garantiu um bronze com Isabella Antonietto e Priscila Santana. As norte-americanas ficaram com o ouro e as cubanas com a prata.

Bronze no wakeboard
Já em uma modalidade individual, o wakeboard, Mariana Nep conquistou mais um bronze para o Brasil.

Ouro na canoagem
Hoje mais cedo o baiano Isaquias Queiroz conquistou o ouro na prova de 1.000 metros do C1 da canoagem de velocidade com o tempo de 3m47s631. Esta é a quarta medalha do brasileiro em Pan-Americanos.

Também na canoagem o Brasil obteve dois bronzes. O primeiro foi com Ana Paula Vergutz nos 500 metros do K1. Para alcançar a medalha ela fez o tempo de 1m54s294.

O outro veio com Vagner Souta nos 1.000 metros do K1. O brasileiro marcou um tempo de 3m35s960 na prova.

Ouro no triatlo
O Brasil garantiu outra medalha dourada no revezamento misto de triatlo. A equipe brasileira foi formada por Luisa Baptista, Vittoria Lopes, Manoel Messias e Kauê Willy. Esta foi a quarta medalha do triatlo brasileiro na atual edição do Pan.

Handebol – vale vaga na final
Hoje às 22h30, nas seminfinais do handebol feminino, o Brasil joga contra os Estados Unidos.

A seleção brasileira está embalada. Com atuação impecável, venceu as três partidas que disputou. Ganhou de Porto Rico (40 a 16), do Canadá (41 a 12) e de Cuba (29 a 20).

Até o momento, Brasil soma 25 medalhas; 7 de ouro, 5 de prata e 13 de bronze. A 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos de 2019 vai até o dia 11 de agosto em Lima, no Peru.

Direto da Agência Brasil

Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br


Bruno Barreto30 de julho de 2019
Enem.jpg

2min3670

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou, para o dia 10 de outubro, o prazo para renegociação de dívida do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A portaria que prevê a ampliação a renegociação foi publicada hoje (30) no Diário Oficial da União.

Para pedir a renegociação, os estudantes precisam ter firmado o contrato com o Fies até o segundo semestre de 2017; estar com as parcelas atrasadas em, no mínimo, 90 dias; e ter contratos em fase de amortização.

Além disso, os contratos não podem ser objeto de ação judicial. A depender do tipo contrato, a renegociação também poderá ser feita pelo prazo de amortização.

De acordo com o Ministério da Educação, mais de 500 mil alunos estão com os contratos de financiamento na fase de amortização e com atraso no pagamento das prestações. O saldo devedor total alcança o valor de R$ 11,2 bilhões.

Para regularizar a situação, os interessados devem procurar a instituição bancária onde o contrato foi assinado. O valor da parcela resultante da renegociação não pode ser inferior a R$ 200. Há ainda a parcela de entrada. O estudante deve pagar ou 10% da dívida consolidada vencida, ou R$ 1.000.

Direto da Agência Brasil

Foto: Wilson Dias


Bruno Barreto30 de julho de 2019
Divulgação_zoo.jpg

4min3010

A população de tigres na Índia cresceu mais de 30% nos últimos quatro anos, revelam dados divulgados hoje (30) pelo governo indiano. O número de tigres passou de 2.226 em 2014 para 2.967 em 2018.

Com uma população de quase 3 mil tigres, a Índia se transformou em um “dos habitats mais seguros do mundo” para os felinos, anunciou o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, em um ato em Nova Déli ao apresentar, por ocasião do Dia Internacional do Tigre, o último censo sobre a população estimada deste animal no país.

De acordo com o relatório, a população do felino na Índia aumentou 33% desde 2014. O número de tigres no país mais que dobrou desde 2006, ano da realização do primeiro censo da espécie.

A contagem usa novas tecnologias e não só na localização de pegadas, como era feito anteriormente.

O último censo foi realizado em 15 meses e contou com 26 mil armadilhas fotográficas que registram quase 350 mil imagens dos animais em seus habitats. Funcionários do governo também participaram da pesquisa que se estendeu por uma área de 380 mil quilômetros quadrados.

Entre as medidas adotadas pela Índia para proteger a espécie ameaçada de extinção está a proteção ambiental por meio da demarcação de reservas. O conflito com humanos, porém, cresceu desde que o país iniciou programas de conservação na década de 1970.

Educação
Especialistas afirmam que o governo indiano precisa fazer ainda mais para educar a população sobre a importância do animal e da preservação de seu habitat. Somente neste ano, mais de 60 tigres foram mortos no país. Por outro lado, 30 pessoas foram mortas por tigres no mesmo período.

Estima-se que em 1900 havia mais de 100 mil tigres no planeta. Devido à caça e à degradação de seu habitat, a população da espécie, no entanto, foi reduzida a menos de 3.200 exemplares em 2010. Nesse ano, a Índia e outros 12 países asiáticos, incluindo Rússia e China, assinaram um acordo no qual se comprometem a duplicar a população mundial de tigres até 2022.

Atualmente, a Índia acolhe 70% da população mundial de tigres, uma espécie que também subsiste em outros países asiáticos, como Bangladesh, Vietnã, Tailândia, Nepal e Camboja.

Acredita-se que 40 mil exemplares tenham vivido no país na época de sua independência do Reino Unidos, em 1947.

O tigre é muito apreciado em países como a China para elaborar remédios tradicionais e o tráfico na Ásia é uma das maiores ameaças para a preservação da espécie.


Bruno Barreto30 de julho de 2019
manicure_servicos.jpg

2min3680

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) avançou 2,2 pontos em julho. É a segunda alta consecutiva do índice medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), depois de quatro quedas seguidas registradas no início deste ano.

A alta, segundo a FGV, “sugere que os empresários estão percebendo uma reação no ritmo de atividade do setor e se tornando mais otimistas para o segundo semestre”.

O resultado positivo do índice em julho impactou 9 das 13 atividades pesquisadas. Os dois componentes do ICS tiveram variações positivas: Índice de Situação Atual (ISA-S) avançou 1,9 ponto, para 89,4 pontos, enquanto que o Índice de Expectativas subiu 2,6 pontos, para 97,6 pontos.

Apesar do resultado positivo, o relatório da FGV alerta para fatores considerados limitativos que podem inibir o ICS no segundo semestre do ano. Um deles é a demanda insuficiente, que voltou a subir este mês, alcançando 34,4%. É o maior percentual desde agosto de 2018, quando chegou ao patamar de 35%.

A demanda insuficiente vinha caindo desde no segundo semestre de 2018, mas reverteu a tendência em maio deste ano.

Direto da Agência Brasil

Foto:Elza Fiúza/Arquivo/Agência Brasil


Bruno Barreto30 de julho de 2019
copan_marcelo_camargo.jpg

2min4940

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) aumentou 0,40% este mês, contra 0,80% em junho. O índice, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registra este ano uma alta de 4,79%. No acumulado dos últimos 12 meses, a alta é 6,39%.

O IGP-M é usado como referência para o reajuste dos aluguéis.

A taxa de julho deste ano é menor que a registrada no mesmo mês de 2018, quando o índice havia subido 0,51% no mês e acumulava alta de 8,24% em 12 meses.

Depois de uma alta de 1,16% no mês passado, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) também ficou em 0,40% em julho. Segundo a FGV, os alimentos in natura foram os principais responsáveis pela alta, cuja taxa passou de 4,95% negativos para 0,58%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,16% em julho, após queda de 0,07% em junho. As principais contribuições para o índice foram: alimentação (-0,55% para 0,22%) e habitação (0,17% para 0,55%). O grupo hortaliças e legumes passou de 4,37% negativos para 1,60%, no período.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,91% em julho, ante 0,44% no mês anterior.

Direto da Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil