"SALVE"

Detentos denunciam tortura e precariedade na PCE; juiz notifica MPMT

A queixa foi feita no dia 26 de julho e assinada por 1.512 presidiários

O juiz da Vara de Execuções Penais, Geraldo Fidelis, notificou o Ministério Publico de Mato Grosso (MPMT) para investigar uma denúncia em que detentos da Penitenciária Central do Estado (PCE) alegam que são torturados por agentes penitenciários.

A queixa foi feita no dia 26 de julho e assinada por 1.512 presidiários. No documento divulgado pelo site MídiaNews, os presos alegam que além de serem espancados, a penitenciária é precária. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), atualmente existem 2.100 detentos na PCE.

Reprodução

“Os agentes entram nos raios para fazer geral, chegam dando tiro, jogando bombas, spray de pimenta agredindo presos, com essas atitudes presos caem se machucam, além dos danos causados pelas balas borrachas”, diz trecho da denúncia.

Ao HNT Fidelis confirmou que recebeu a denúncia no último dia 9 e que todos os fatos narrados serão apurados.

Visitas suspensas

Nesta terça-feira (13), a Sesp, por meio da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária, iniciou uma operação intensiva de revista geral na carceragem da PCE, com o objetivo de fortalecer as ações de enfrentamento a crimes que possam ser cometidos dentro da unidade penal, além de se antecipar a possíveis atos delituosos.

A operação teve início às 9h desta terça-feira com revista minuciosa em todos os raios e celas da unidade prisional. Serão verificadas também as condições estruturais da área da carceragem e feita a retirada de produtos que estão em desconformidade com o estabelecido no Manual de Procedimento Operacional Padrão do Sistema Penitenciário. Após a revista geral será iniciada a reforma nas celas dos raios 1,2,3 e 4.

A operação é conduzida pela equipe da direção da penitenciária e conta com apoio de servidores de outras unidades qualificados para atuação em recinto carcerário, como contenção e intervenção.

“Nosso objetivo maior é garantir a segurança da unidade, de acordo com a legalidade devida, frustrando qualquer tentativa que possa afetar a segurança da unidade prisional e criar oportunidades de prática delituosa”, destacou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Direto por HNT
Fotos: MN

Jota Jota Nascimento


Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *